Saindo do armário | A última porta aberta

Ilustração por @ninazambiassi

A vida segue a nossa série continua…

Muitas vezes nós criamos os monstros na nossa cabeça e esquecemos que o amor tá acima de muita coisa que pode nos acontecer. Nos distraímos com o dia a dia ou com o que outras pessoas falam e começamos a duvidar das relações que construímos e do poder que elas tem.

Hoje a história é minha, dessa que vos escreve. Eu senti tanto medo, suei frio tantas vezes antes de abrir as portas do meu coração para algumas pessoas, mas isso faz parte de mim e se não tivesse sido assim, não teria essa história pra contar!

A ÚLTIMA PORTA ABERTA

Quase todo mundo que me importa já sabia e só faltava meu avô. Às vezes eu achava que ele já sabia, afinal minha ex-namorada já tinha ido na casa dele algumas vezes e ele me perguntava dela várias vezes. Porém em outros momentos saía uma piada homofóbica e eu achava que estava distante demais pra ele imaginar. Serviu o exército, defende a ditadura, votou no Bozo, mas eu senti que precisava mesmo contar pra ele pra me sentir completa, só que estava com medo da reação imediata, aquela até meio impensada que as pessoas tem na pressa de dizer alguma coisa.

Por isso decidi usar a paixão que temos em comum: escrever!

Um dia cheguei no trabalho e comecei o textão já chorando. No final disse que ele não precisava se apressar pra responder, podia por enquanto só dar um ok pra eu saber que ele tinha lido e que se quisesse a gente podia conversar sobre tudo. Quando cliquei em ‘enviar’ saiu um peso enorme que eu estava carregando.

Poucos minutos depois chegou a resposta: ele foi super compreensível, apesar de deixar claro que não entende, mas também deixou bem claro que o nosso laço está bem acima de qualquer coisa e que nada vai destruir isso. E ainda disse que já tinha desconfiado e que se eu precisasse podia conversar com ele, mas que ele mesmo não precisava, já estava tudo certo.

Passa um tempo e liga minha tia:

– Por quê decidiu contar pro teu vô? – na hora já congelei e ela continuou – Agora ele tá chateado porque foi o último a saber!

E enquanto esse for o maior dos problemas acho que tá tudo dando certo, embora eu sempre chore quando abro nossa troca de e-mails.


* Compartilha sua história com a gente também!
É só enviar por e-mail para coletivocassia@gmail.com.br com o título ‘Saindo do Armário’

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *